quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Pecado na era Pós-cristã


Num desses dias, alguém me perguntou como se deve proceder quando em pecado. Respondi o óbvio: arrepender-se. A pessoa contestou dizendo que o pecador também é vítima e precisa ser entendido como tal. 

Essa me parece ser a discussão dos dias correntes: pecador ou vítima?

A Bíblia reconhece que qualquer pessoa pode ser vítima do pecado de alguém ou mesmo da conjuntura social, ou da estrutura politico-econômico-social, porém, não entende que isso possa justificar qualquer ato pecaminoso. Para a Bíblia todo ser humano é sujeito da e na história, principalmente, de sua história. Todos são pessoalmente responsáveis, ainda que possa haver atenuantes ou agravantes.

Para a Escritura Sagrada o que se pede do pecador é que se arrependa, isto é, que assuma o seu erro e a sua responsabilidade. Arrepender-se é aceitar a punição da lei. Um pecador arrependido é aquele que admite merecer a punição que a Lei de Deus prescreve para ele. Que, em última instância, é a morte: “A alma que pecar, morrerá” (Ez 18.4). 

O Novo Testamento, entretanto, nos ensina que todo o pecador que se arrepender, isto é, todo o que admitir e confessar o seu pecado será por Deus perdoado, como ensina o apóstolo João (1 Jo 1.9). E, por ser perdoado por Deus, deve ser perdoado pelo ser humano a quem ofendeu. Entretanto, o pecador não tem como exigir o ser perdoado. O pecador pede perdão, mas, não o exige; pelo simples fato de que perdão não é um direito do pecador, é uma benesse do ofendido. Porque perdão é graça.

É verdade que o cristão não tem como não perdoar (Mt 6.12). Contudo, essa é uma questão entre a vítima e Deus. Além disso, o pecador não tem o direito de reclamar do sofrimento de que foi acometido como consequência de seus atos - no relacionamento ofensor e ofendido (isso não justifica o ofendido, caso sua reação seja pecaminosa). É a lei da semeadura: “Semeia-se vento, colhe-se tempestade” (Os 8.7). E é preciso que se diga que, por pior que seja o sofrimento que o pecado venha a provocar sobre o pecador, ainda é menor do que o Inferno ao qual ele fez jus.

Todo o que confessa o seu pecado será perdoado e restaurado por Deus (1 Jo 1.9). Porém, confessar é assumir a responsabilidade e admitir a justiça da punição pelo que fez. Ainda que a punição não virá pelo fato de já ter sido sofrida por Cristo. 

Nesta época tal reflexão está se tornando impensável: porque vivemos numa era de vítimas. Hoje, não importa o erro que a pessoa cometa, ela é sempre vítima: seja da sociedade, seja da história, seja da economia, seja da política, seja das instituições, seja da família. Ninguém é culpado. Logo, como alguém disse: é uma época em que ninguém assume a responsabilidade, nem adia prazeres e nem se presta a sacrifícios.

Essa época é pós-cristã não porque não se fale mais de Deus (pelo contrário, provavelmente, poucas vezes na história se falou tanto de Deus), mas, porque não se fala e nem mais se admite a realidade do pecado. Esta é uma era onde não há mais pecadores, só há enfermos. É o auge do humanismo: o pressuposto de que o ser humano é intrinsecamente bom venceu; e, ora, gente intrinsecamente boa não peca, adoece. E doentes são vítimas. 

O que ainda não se percebeu nesta presente época é que doentes não podem ser perdoados. Só pecadores podem ser perdoados. Logo, só pecadores podem ser restaurados; só pecadores podem ser tornados puros de toda a injustiça que cometeram. O que será dos que estão prontos para assumir que estão enfermos, mas, jamais que são pecadores? A probabilidade maior é a de continuar pecando cada vez mais e pior, contraindo, aí sim, uma doença para a qual não há cura: a voracidade de ser aceito de qualquer jeito, por julgar ter o direito de ser de jeito qualquer. Essa enfermidade coloca a pessoa a deriva dos mais grotescos apetites, tornando-a escrava dos instintos, que se tornarão cada vez mais irresistíveis. É a escravidão do pecado (Jo 8.34). E disso só se escapa quando, finalmente, a todos os pulmões o pecador confessa: “Minha culpa, minha culpa, minha máxima culpa”.


Por: Ariovaldo Ramos ( @ariovaldo)

sexta-feira, 20 de abril de 2012

O difícil é reconhecer,que temos que MUDAR!

Em meio a toda correria do dia a dia, sinto falta do tempo precioso de poder colocar meus pensamentos no papel, mesmo que não agradando a todos, são meus, bem particularmente meus.
E a vida... ela segue, muita das vezes mais apressada do que gostaríamos, outras vezes, mais vagarosa impossível... e como isso é entediante muita das vezes, não é mesmo? Mas, chego a cada dia a conclusão de que independente de como esteja “andando” a vida, infelizmente, em meio a raça humana, tem predominado a ingratidão com tudo e com todos. Buscamos sempre mais realizações, reclamamos sempre mais das mesmas ou diferentes coisas, achamos sempre tudo muito trabalhoso  e chato demais, blasfemamos demais. Ou seja, tá sempre tudo ruim demais. Vivemos na esperança necessária (obviamente) do “Vai tudo Melhorar” ,nos limitamos a isso,e passamos a não enxergar e sermos gratos por aquilo que já está bom.
    O que realmente me assusta é essa deplorável capacidade de olharmos sempre para as dificuldades e fazer delas o assunto da vida... e nos colocarmos sempre na posição de “Vítimas” do meio, da sociedade, da criação recebida, da posição social. Parece tão mais fácil, não é mesmo? colocar a responsabilidade da nossa falta de pró-ativez,de sensibilidade, de amor, de fé, de responsabilidade, de respeito, de gratidão, de sinceridade, de honestidade, de bondade, de humildade, de amizade, de companheirismo,falta de DEUS em alguma escora...  O difícil é reconhecer em nós a real necessidade de MUDAR!!

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Seja o que você é,mas busque ser MELHOR!

    As pessoas diferem de opiniões. E isso é comum. Uns verão em você coragem, outros medo, uns verão em você simpatia, outros, te acharão a criatura mais antipática de todas, uns te acharão chato (a) outros uma pessoa "super legal", uns por mais tratamentos de beleza que faça, te acharão feio (a), acima ou abaixo do peso,desproporcional, outros, conseguirão ver uma beleza enorme em você. Pois é, tudo varia de pessoa, para pessoa, e penso, que isso nunca mudará, as pessoas buscam afirmar suas opiniões e achismos sempre relacionando-os a algúem, que no caso, pode ser você, eu.
    É nesse sentido que reflito quão importante é a cada dia a busca pelo SER.... ser VOCÊ!. Quando definimos isso em nós, o que verdadeiramente somos e nos aceitamos, fica mais fácil entendermos que JAMAIS conseguiremos agradar a todos, afinal, nem Jesus como um ser humano perfeito conseguiu isso, então, conformemos em não conseguir também né?. Ah! é importante termos a consciência que NINGÚEM É PERFEITO! Todos, todos, sem exceção na raça humana, é dotado de qualidades e defeitos. Uns deixam as qualidades dominarem, outros,infelizmente, os defeitos.
    Quando passamos a nos aceitar, e a assumir a nossa posição do "Ser verdadeiramente Eu" fica mais fácil a partir daí identificarmos nossas áreas onde mais necessitamos de mudanças... Pois é, MUDANÇAS! Não adianta você reconhecer quem é com qualidades e defeitos, e sentir-se satisfeito(a) em permanecer sempre da mesma forma, tipo como uma música antiga que diz: " Eu cresci assim, vou ser sempre assim, vou morrer assim..Gabriela!" ( mais ou menos isso,rs!) , de acordo com o que eu penso, viver assim não é nem um pouco inteligente. Afinal, por mais que não devamos viver preocupados com que os outros pensarão de nós, como já parafraseava Madre Tereza de Calcutá que dizia "Nunca será entre você e os homens, mas sim,entre você e Deus",é de extrema importância analisar, avaliar,percebermos o que estamos emitindo, refletindo para as pessoas, e se o que recebemos em contrapartida delas, é motivado por nós, e posso perceber, que na maioria das vezes é. Aí, entra a humildade,não a relacionada ao financeiro, a humildade de espírito mesmo, em se auto-analisar e aceitar que o erro pode estar nós. Como é bom ter a possibilidade de encararmos um espelho, quando falo em espelho, não refiro á expectativa exterior que ele nos reflete,mas sim, termos a tranquilidade de nos olharmos numa visão mais rebuscada, a interior e relacionarmos a visão cristã,principalmente, que é a que me baseio e é a que mais nos motiva a buscar mudanças, que mas nos faz pensar se estamos compatíveis ou pelo menos caminhando para estar ao que diz a palavra de Deus, a Bíblia de fato é o melhor espelho para estar de frente para quem busca: melhorar e evoluir,é Ele o Melhor Manual de Vida, o melhor livro de Auto-ajuda! Te convido a estar com esse "Book na face", rs e deixar com que seja Ele o Espelho para refletir o que é necessário mudar, e que haja disposição e empenho para Tal!! Que Deus nos ajude!!
    Vamos caminhar sendo o que somos, mas, não nos satisfazendo como estamos, sabendo que há sempre possibilidade de SERMOS MELHORES DO QUE ONTEM!


Bruna M. Bahiense